Acompanhe o RSS: Artigos | Comentários | Email

Pizzolato, o inocente útil

Sem Comentários

Pizzolato fugiu. Alega injustiça. Diz que tem documentos comprovando sua inocência. São documentos, menciona, que não foram considerados por Barbosa — fato e mais fatos, relegados à pocilga da acusação. Pode ser que Pizzolato seja inocente, mas parece mais personificar um tipo de inocência um tanto macabra, o de inocente útil. Seria um personagem secundário, situado de tal forma, eis sua tragédia, que permitiu a captura de outros atores bem mais importantes da novela do Mensalão. Foi acusado de desviar dinheiro público para o dito-cujo. A prova do desvio era fundamental para toda a lógica da acusação. Sem sua comprovação, toda a argumentação de Gurgel e Barbosa cairia por terra. E o Mensalão viraria um mero caixa 2, caracterizando o PT como um partido como outro qualquer. Por isso, era fundamental não levar em conta vários indicios (evidências? fatos? Não sabemos) que comprovassem o contrário, isto é, que não houve desvio de dinheiro público.

Dada as circunstâncias, é factível, porque estamos diante de um julgamento kafkiano. Para o espetáculo, outra estória não seria condizente com o roteiro.

Pizzolato foi silenciado. Nunca foi ouvido, seja pela mídia, seja pelo STF — de certa forma, nem mesmo pelos seus correligionários do PT, preocupados com seus líderes. Como clamar pela inocência, se ninguém escuta. Pizzolato é um personagem trágico. Inclusive, suas alegadas “provas” estavam sob sigilo, decretado por Barbosa, numa outra ação penal, o inquérito de número 2474 (há boatos de que tem coisas escabrosas, inclusive contra o PT), cujo processo correu paralelamente à ação 470. São ações que continuam paralelas até hoje. Talvez, encontrem-se no infinito ou quando os vermes do cemitério devorarem o corpo dolorido do Jânio Quadros do judiciário brasileiro — lembro que os vermes são os igualitários da Natureza, pois comem todos, sem exceção, até caçadores de cabeça comunista.

Abaixo, o vídeo no qual Pizzolato se defende:

Imagem de Amostra do You Tube

Abaixo, vídeo didático da Retrato do Brasil (aqui, edição parcial da reportagem) que noticiou, várias vezes, a falta de provas de que houve desvio de dinheiro público:

Imagem de Amostra do You Tube

Abaixo, vídeo com Raimundo Pereira, jornalista da Retrato do Brasil:

Imagem de Amostra do You Tube

Mais outro vídeo:

Imagem de Amostra do You Tube

PS: Como inocente útil, Pizzolato tem, talvez, rabo preso numa outra estória (aqui).

InscritosEmPedra

Deixe um comentário