Acompanhe o RSS: Artigos | Comentários | Email

Homens que se fingiam de lésbicas

1 comentário

Mundo estranho…

Mundo virtual: a política e o reconhecimento gerando híbridos. Peguei aqui.

Homens se passam por blogueiras lésbicas

Parece que virou moda. Um dia depois da revelação de que a blogueira síria (e lésbica) Amina Abdullah Araf al Omari era na verdade uma criação do estudante americano Tom MacMaster, que vive na Escócia, descobriu-se que Paula Brooks, editora-executiva do site de notícias do mundo gay LezGetReal.com, também não existe: a “personagem” foi criada por outro americano, o aposentado Bill Graber, de Ohio.

Antes de começar o blog Gay Girl in Damascus, em fevereiro, MacMaster (como Amina) chegou a escrever posts no LezGetReal.com. Nas últimas semanas, começaram a surgir, na blogosfera gay, questionamentos sobre a veracidade das informações contidas no blog sírio. Graber (como Paula) chegou a se envolver na história, fornecendo informações para veículos de comunicação apontando um endereço IP de Edimburgo como sendo o do blog de Amina. Mas sua conduta acabou levantando questionamentos sobre sua própria identidade – inclusive com a hipótese de que as duas personagens lésbicas seriam criação de uma mesma pessoa.

Artifícios

Graber acabou contando ao Washington Post a verdade. Ele revelou que começou o blog depois de testemunhar o mau tratamento recebido por amigas lésbicas. “Não comecei usando o meu nome pois achei que as pessoas não levariam a sério, sendo eu um homem heterossexual”, disse.

Segundo ele, seu contato com Amina ocorreu por acaso. A síria chegou a flertar com Paula via internet – aparentemente nenhum dos dois sabia que estava lidando com outro homem. Paula contou a repórteres que era surda, por isso entrevistas por telefone só poderiam ser feitas por meio de seu “pai”. Nem os parceiros do site tinham contato pessoal com ela. Informações de Esther Addley e Ben Quinn [The Guardian, 14/6/11].

InscritosEmPedra
  1. Mas vocês já pensaram na possibilidade de esses caras serem mesmo lésbicas?

Deixe um comentário