Acompanhe o RSS: Artigos | Comentários | Email

Macacos e Contatos

6 comentários

Desde pequeno, sou um aficionado de ficção científica. Lembro-me de Odin levando-me ao antigo aeroporto de Recife para comprar uma coleção portuguesa de FC, chamada “Argonauta”. Eu me refestelava. Li tudo e, ainda, leio tudo, mesmo as porcarias.

No cinema, assisto a qualquer filme que tenha efeitos especiais. Têm raio e espaçonave, estou lá. Pode ser uma bosta, mas tô lá. Pode ser até ecologia para débeis mentais, como Avatar, não importa, não perco nada.

Esse final de filme abaixo é retumbante:

Imagem de Amostra do You Tube

Acho o final do Planeta dos Macacos – falo do original e não do remake, que é muito fraquinho – um final espetacular. Eu fiquei tão estupefato quanto George Taylor (Charlton Heston), quando vi os restos da Estátua da Liberdade e descobri que o planeta dos macacos era, na verdade, a Terra. Até então… Enfim, eu teria a mesma reação. 😎

Outro grande filme de FC é esse:

Imagem de Amostra do You Tube

Venderia a alma — daria de graça, na verdade — para viajar na espaçonave. Nasci na época errada…

DimasLins
  1. Pois eu me ferrei! Era uma criança besta. Vendi minha alma e não tinha nave espacial nenhuma! Era um pessoal da CIA com roupas esquisitas fazendo experiências de paranormalidade em Quixadá no sertão cearense. De fato muitos partiram e nunca mais foram vistos. Consegui fugir. Vim parar em Inrermares, onde tento, com minhas próprias pesquisas sobre cartografia neural reversa transaxial, um antidoto para os efeitos abomináveis da radiação a qual fui exposto. Obviamente as tartarugas têm um papel inportante nas pesquisas pela sua ancestralidade, que de tão antiga quase berra pra serem extintas (nós não conseguimos entender esse fato natural simples materializado em apelos em lingua de tartaruga). Se não tivesse tanto que fugir dos agentes da CIA e mudar tantas vezes de apartamentos em Intermares já poderia ter avançado significativamente em direção a cura…

  2. pois eu sempre odiei espaçonave, qualquer coisa que tivesse estrela, roupa prateada… sempre achei um absurdo que os ets sequestrem as pessoas e ficaria muito p. da vida se acontecesse comigo– eles podiam ir procurar vc, artur! mas, como também fui criança, meu sonho era descobrir minhas raízes judaicas para ser do mossad e sair pelo mundo caçando nazistas… minha vida seria muita mais fácil: eles estavam, além de velhinhos, quase todos na argentina… eu teria muito menos trabalho que tenho na ufpb dando aulas de fundamentos do pensamento sociológico…

  3. Pois sei de uns nazistas lá na ufpb… Eles estão bem disfarçados. Têm sotaque e jeito de paraibanos. Os cabelos estão pintados de preto e dizem muito bem “muitcho”, “oitcho”. Mas há uma maneira de desmascará-los. Chegue na Reitoria, por exemplo, e grite: arbeiten, die sprachfertigkeit erweitern!!! Eles saem correndo, batendo um no outro, na parede, tendo desmaios e dando gritinhos arianos. Pegue uma tabica e dê uma surra nos safados. Simples, assim.

  4. Dois filmes que vi trocentas vezes.

    Esse final do Planeta dos Macacos é antológico. O remake é fraco e, seguramente, o pior filme de Tim Burton, diretor do qual gosto muito.

  5. Dois clássicos, de fato.

    Um que vi recentemente e que ficou bem legal foi o Star Trek com os caras ainda cadetes da Frota. Fiel à série e com um roteiro perfeito em relação ao primeiro episódio dela.

    Abs.

  6. Ei ,

    Eu vejo site http://www.blogdosperrusi.com e seu impressionante.Eu me pergunto se o conteúdo ou banners de opções de publicidade disponíveis no seu site?

    Qual será o preço se quisermos colocar um artigo no seu site?

    Nota: o artigo não deve ser qualquer texto como patrocinado ou anunciar ou assim

    Felicidades
    anto desouza

Deixe um comentário